Archive for setembro \17\UTC 2010

Will Wright: Design de Jogos

17/09/2010

Will Wright

Esta palestra do Will Wright (designer dos jogos Sim City, The Sims e Spore, entre outros) é valiosa para qualquer pessoa interessada em design de jogos, e também de software e interfaces de uma maneira geral.

É bastante longa, mas a primeira meia hora é bem acessível e interessante. Foi gravada em 2003 no Computer History Museum.

Leia mais sobre a palestra no resto do post.

Anúncios

Repensando Flusser e as Imagens Técnicas – Arlindo Machado

16/09/2010

Neste breve ensaio, entitulado Repensando Flusser e as Imagens Técnicas (2001), Arlindo Machado examina a criação e a arte em meios digitais, tomando como base principalmente Vilem Flusser e seu livro Filosofia da Caixa Preta (1985).

Apesar de Machado abordar uma série de temas neste texto, achei este trecho no final especialmente interessante, por sugerir que pode estar na arte a recuperação do humano na tecnologia:

Aparelhos, processos e suportes possibilitados pelas novas tecnologias repercutem, como bem o sabemos, em nossos sistemas de vida e de pensamento, em nossa capacidade imaginativa e nas nossas formas de percepção do mundo. Cabe à arte fazer desencadear todas essas conseqüências, nos seus aspectos grandes e pequenos, positivos e negativos, tornando explícito aquilo que nas mãos dos funcionários da produção ficaria apenas enrustido, desapercebido ou mascarado. (…) Voltando a Flusser, a arte coloca hoje os homens diante do desafio de poder viver livremente num mundo programado por aparelhos. (grifo meu)

Leia o resto deste post aqui.

Vilém Flusser e “o fim do livro”

15/09/2010

Transcrevo abaixo alguns trechos de um ensaio sobre o filósofo Vilém Flusser, escrito por Teixeira Coelho e publicado no Estado de São Paulo em Maio deste ano de 2010.

Imagem x Texto x História – O livro seria um “estágio intermediário” e sumirá porque a escrita desaparecerá (…) As imagens são mais amigáveis para o conhecimento. (…) As consequências são sérias. (…) A história, função da escrita e da consciência correspondente, também desaparecerá junto com a escrita.

Uma mente “livre para pensar“? – A inteligência artificial “disporá de uma consciência histórica que superará a nossa. E já que essa inteligência fará e terá uma consciência histórica melhor que a nossa, ficaremos livres para nos concentrarmos em outras coisas. Em quê? Na experiência concreta do presente, por exemplo (…)

Ensaio completo aqui. Algumas informações, referências e links sobre Flusser em sua página na wikipedia, aqui.

PS: a imagem que ilustra este post foi obtida na internet, neste blog.
PPS: publiquei um post similar a este no meu blog pessoal aqui.